sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Jesus Cristo: Rei do Universo (1ª Parte)

          "Jesus de Nazaré, Rei dos Judeus", foi a inscrição que Pilatos mandou pôr sobre sua cabeça quando foi sentenciado à morte. Desde esse dia milhares de pessoas no mundo olham a cruz com devoção e fé.
          Passaram já vinte séculos de História e no entanto por esse Rei sentenciado à morte somos hoje como uma coroa humana de corações em louvor, em admiração, em obediência e em fervor para Cristo Rei, nosso Rei!
          Estávamos no ano 1925 de nossa era Cristã. Adivinha-se à distância outra guerra, a segunda mundial, mais espantosa que a primeira e que custaria 26 milhões de vidas.
          Naquela hora de dor o Papa Pio XI fez ouvir a sua voz e gritou: "A paz de Cristo, pelo reinado de Cristo!". Com a encíclica chamada "Quas Primas", o Papa instituía a Festa de Cristo Rei.
          Pio XI insistia na necessidade de reconhecer a autoridade universal de Cristo, porque a aceitação de Cristo faria desaparecer as divisões de pessoas, classes sociais, povos e nações, que acabaria com os ódios e deitaria por terra toda injustiça e toda a escravidão.
          Assim concluía o Papa: "é necessário que Cristo reine na mente dos homens, é necessário que Cristo reine na vontade dos homens, é necessário que reine nos corações dos homens, por um ardente amor à Ele; e é necessário que Cristo reine em nossos corpos e em nossos membros para que sirvam à paz externa da sociedade e à paz interna de nossas almas.
          A festividade de Cristo Rei foi instituída liturgicamente no ano santo de 1925. Esta festa de Cristo Rei é pois das mais recentes da liturgia.